sábado, 29 de setembro de 2012

O Governo diminuia o IVA da restauração dos 23 para os 13%, onde já esteve tão bem, e aumentava o IVA na compra de carros a partir de um certo valor e das coisas de luxo, desde barcos ao diabo a sete. Assim, evitava-se que milhares de restaurantes fechassem, como é provável que aconteça, deixando mais uma série de gente desempregada e em dificuldades. Depois diminuia para 1000 o ordenado de todos os ministros, cortava nos ordenados dos assessores e nos próprios assessores. Putos de 24 anos acabados de sair da faculdade não deviam receber 4 mil euros. Nem 2 mil, na verdade, a menos que sejam génios sobredotados mas se assim fosse não iam para assessores. Depois cortavam na frota automóvel do Estado e passavam a andar em menos carros e mais modestos, todos a gás que é mais barato. Acabavam com as reformas vitalícias dos presidentes da República mais os subsídios de deslocação e de habitação de ministros e deputados e o caralho e tenho para mim que no fim do ano tinha-se poupado uma bela quantia sem ser preciso roubar-nos mais nada.

(daqui)

Sem comentários: