sábado, 15 de setembro de 2012

Da manifestação

Acho que é importante que as pessoas se mobilizem, que participem na vida cívica ativamente e que se façam ouvir, como, aliás, hoje, muitas o fizeram! Eu também estive lá e - confesso - apesar de não ser um manifestante muito efusivo, também bati palmas, também entoei cânticos e gritos de condenação face à atitude do governo e, acima de tudo, ao estado miserável em que o nosso país se encontra. Temo, e lamento, que, daqui para a frente, seja sempre a piorar. Pedro Passos Coelho e a sua cambada de trolls não se pode esquecer que quem o lá pôs foi o povo e que castigá-lo desta maneira não lhe trará nada de bom. Li muitos cartazes - não consegui fotografá-los todos - e, em particular, gostei de um (que não fotografei) em que o autor pedia desculpa por ter acredito no PPC e que lamentava ter-lhe dado o seu voto. Eu estou de consciência tranquila porque não votei em PPC e, hoje, muito menos o faria! Ficam, aqui, algumas fotografias da tarde de hoje nos Aliados.




E, para rematar, uma frase que, para mim, diz muita coisa: "Não somos os filhos da democracia, somos os pais da próxima revolução!"

1 comentário:

Catita disse...

Deixei de acreditar em políticos, aquela frase antiga "são todos iguais", começa a fazer cada vez mais sentido. Infelizmente, acredito que os próximos tempos serão mesmo piores e vai ser preciso ter muita força e coragem. No entanto, o mais importante, é não desistirmos nunca. Que a luta continue.