quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Os morangos são de plástico



Faço parte daquela geração que acompanhou as primeiras temporadas dos Morangos com Açúcar (MCA) quando a primeira temporada estreou em 2003. Ai como me lembro dessa altura, quando ainda estava no ensino básico. Achei muita piada às três primeiras temporadas mas, depois, tudo me começou a parecer um pouco artificial, demasiado ensaiado, as emoções muito forçadas e plásticas. Sensivelmente pela quarta temporada fui perdendo o interesse pela série e, até agora, ainda não tinha voltado a vê-la, quando, há dias, acidentalmente, bati com os olhinhos na TVI e verifiquei que as coisas, nestes anos todos, não tinham mudado. 

Entretanto, na SIC Radical, descobri uma série FoQ (Física o Química) que é, digamos, uma espécie de Morangos mas em versão espanhola. A série tem lugar num colégio em Madrid e retrata, não só, a vida dos alunos adolescentes, mas também os sentimentos, confusões, problemas e dúvidas do corpo docente, também ele jovem. Entre os alunos - e os professores - fala-se abertamente de doenças sexualmente transmissíveis, de contracetivos, de homossexualidade, gravidez na adolescência e de tudo aquilo que, na realidade, os jovens falam. Nos MCA, por outro lado, todos as personagens tem vidas perfeitas, sem problemas, sem contratempos e só boas notas. FoQ é, quanto a mim, uma série bastante explícita - e ainda bem - em relação a determinados temas - a homossexualidade, por exemplo, está bem presente e há dois protagonistas que mantém uma relação homossexual - o que, na minha opinião, é francamente positivo.

É necessário começar a perceber que a vida real não é como a vida dos MCA e que será, talvez, mais como a de FoQ, que, pelo menos, retrata grande parte das várias situações que acontecem na vida de um adolescente. Infelizmente ainda há muita gente que pensa que os frangos nascem em cuvetes nos supermercados e essa realidade tem de ser alterada!

Sem comentários: